sexta-feira, 30 de abril de 2010

Afeto no mundo animal





















































































































































































Macaco Aranha: é um mamífero primata da Família Cebidae. É também conhecido por quatá ou coatá preto. Seu nome é explicado pelo fato dessa espécie apresentar os membros mais longos que o comum. Ao se movimentar com grande agilidade pelos galhos das árvores, o macaco-aranha usa todos os membros e inclusive sua cauda preênsil, lembrando os movimentos das aranhas, com suas longas pernas andando por suas teias. Adulto, pode chegar a 65 cm de altura e 8 kg. Sua cauda pode chegar a medir 90 cm. Aliás, esta espécie de macaco usa a cauda como uma terceira mão da mesma forma os elefantes utilizam a tromba.

Cláudia Raia troca experiências com artistas amazonenes

A atriz e cantora Cláudia Raia está em Manaus com seu espetáculo "De Pernas Pro Ar" e aproveitou para ter um encontro com jovens dançarinos, cantores e atores amazonenses. No bate-papo realizado no Studio 5, Cláudia conversou e trocou idéias e experiências com alunos do Projeto Jovem Cidadão, do Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro e da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).


quinta-feira, 29 de abril de 2010

Beleza natural


A Onze-horas é uma das raras plantas suculentas que tem ciclo de vida anual. As flores terminais são muito grandes e vistosas.








quarta-feira, 28 de abril de 2010

Idosos participam do 1º Festival de Corais da Terceira Idade


O Governo do Amazonas promove, até sexta-feira (30), o 1º Festival de Corais da Terceira Idade, no Centro Estadual de Convivência da Família, no bairro Aparecida. O evento conta com a partipação de cerca de 200 idoso de sete grupos da capital e do interior do Estado.





Amazonas é referência nacional com Programa de Regionalização da Merenda Escolar











Desenvolvido pelo Governo do Estado desde de 2004, o Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme) tem como proposta inserir no cardápio escolar gêneros alimentícios da cultura local, como o pescado, e desta forma incentivar o desenvolvimento sustentável